Você voltou a ser mulher depois de ser mãe?

ImagemImagemImagemImagem

Essa é uma dificuldade comum entre as mães de uma forma geral. Me explico melhor… tenho um grupo de amigas algumas solteiras, outras casadas com filhos, outras separadas com filhos e outras separadas sem filhos. Ou seja, todos os estilos e gostos! Temos um grupo criado nesses apps de bate papo e cada hora uma de nós conta algo, desde desabafo até dicas de beleza!

Outro dia, estávamos trocando mensagens sobre esse tema. Uma delas estava olhando fotos antigas, da época em que estava grávida e dos primeiros meses do filho e concluiu que tinha melhorado muito desde então! Física e emocionalmente. Trocamos fotos entre nós no Whatsapp..  e todas nós concordamos com a conclusão dela: realmente ela está linda hoje e comparando com os primeiros anos de vida do filho, a diferença existe. Apesar de bem mais jovem quando o filho nasceu, ela tinha uma aparência de mãe sabe? Aquele ar de seriedade e responsabilidade que a nova função impõe. O oposto de hoje, que apesar de manter as atitudes sérias e responsáveis, consegue passar a jovialidade e charme que antes talvez não conseguisse. E acho que esse comportamento não é exclusivo dela, reparo em várias amigas ao meu redor e inclusive eu mesma, que quando tive filhos, “encaretei” muito, até voltar a ser mulher novamente.

Quando falo encaretar, digo que perdemos nossa essência feminina para se tornar mãe e transferimos isso para o relacionamento com o marido, quando então viramos mães deles e não mulheres deles.

Não tem nada de errado em ser mãe, mas está errado esquecer o lado mulher. Está errado não saber separar o momento de ser mãe e o de ser esposa, amiga, irmã, tia, etc. Como a mulher carrega culpa naturalmente, sem que nada de errado precise acontecer, essa maneira de virar 100% mãe é justamente um dos resultados dessa culpa eterna. Com nossos filhos não queremos errar. E o que acontece é que erramos mais ainda não querendo errar: sufocamos nossos filhos, ensinamos que não existe mulher-mãe (é uma ou outra, que ele logo entende da seguinte forma: mulher para casar ou mulher para se divertir – duas juntas não existe) e não mostramos como é gostoso um casamento em que cada um tem seu espaço e sua hora para compartilhar. Ou seja, a família em que ele se espelha está errada! O que pode impactar em equívocos para várias escolhas da vida dele.

E, voltando ao marido, esse ganha um filho mas perde a mulher! Além disso, de homem da relação, ele vira um incompetente. Não pode amamentar, não sabe trocar fraldas, não sabe fazer a sopa, dar banho nem pensar (ele não tem prática), e assim vai se “destruindo” uma família ao invés de construir. Cria-se um núcleo, a mãe e o filho, versus o outro núcleo, o pai. Ela corre como uma louca para dar conta de tudo, não delega porque ninguém faz melhor do que ela, e o pai fica de ladinho, só olhando, sem se atrever a dar palpite, porque acha que não consegue contribuir em nada.  A essa altura a TV é o seu melhor amigo. Passa o dia todo zapeando ou ainda, fica no notebook procurando algo mais interessante do que a “família”.

Perfeito cenário para o casamento desandar… Nessa hora é preciso muito tato do marido para demonstrar, sem magoar, a realidade em que estão mergulhados. A mãe precisa ter o bom senso de tentar sair do seu papel e olhar de fora olhando entender se aprova ou não esse modo de vida. É muito difícil para os dois, mas fundamental para o casamento. Eu não vejo saída para casamentos que são formados por esses núcleos. Tanto o homem quanto a mulher precisam estar bem conectados para continuarem juntos e então educarem os filhos. A desunião nesse nível não é saudável para o conjunto e nem individualmente.

Nesse ponto, a única forma de resolver é dialogando abertamente, sem amarras e preconceitos, para contar sobre as frustrações e se empenharem para mudar o status. Se os dois não estiverem envolvidos na resolução, ela não vai acontecer.

E aqui fica um apelo para todos os meus amigos: cuidem para não deixar isso acontecer! Relacionamento não é fácil e para ficar juntos felizes, é preciso ultrapassar essas barreiras e crescer como casal.

Seja mais, seja você!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s